Início > Trabalhos > Leitura

A Crítica - Resumida

Criticar: ato de censurar;
dizer mal de; examinar,
notando a perfeição
ou os defeitos de.
(Aurélio)

PERGUNTA: Se conhecêssemos uma mulher grávida, que já tem oito filhos, dos quais três são surdos, dois são cegos e um é retardado mental, e sendo ainda que esta mulher sofre de sífilis; será que recomendaríamos que para ela o melhor seria abortar?

O perigo da crítica está, não somente no erro da análise que as vezes fazemos da questão – quase sempre vista pelo crítico, superficialmente. Está, sim, na forma de oferecer a crítica, que se transforma em JULGAMENTO sumário e na maioria das vezes causa ferimentos quase incuráveis.

Há possibilidade de acertarmos na análise de uma crítica; mas há, também, o dever cristão de nos comedirmos e não extrapolarmos no quesito aplicação, afim de se criar os aspectos “adesão e auto-ajuda” no criticado.

No seio da Maçonaria, assim como no mundo profano também cultuamos a crítica. E como! Claro, de todas as famílias, dos mesmos costumes e da mesma cultura nascem as pessoas, com todas as suas ocupações: da saúde, do comércio, da economia, da política, do judiciário.... e também dos Maçons. Vale salientar que os maçons possuem no bojo do curso preparatório às suas formações de Mestres-Maçons (cujo objetivo é “tornar feliz a humanidade”), matéria que os disciplina e os direciona ao julgamento justo e humanitário, isento da crítica destrutiva. Mesmo assim, nos pegamos no exercício da crítica contumaz e indisciplinada, as vezes ferindo, destruindo.

Com o objetivo de avivar a nossa memória quanto ao bom exercício de uma prática saudável e “colaborativa” entre Irmãos Maçons, sem julgamentos, sem precipitações, ouvindo sempre dois ou mais lados da questão, vamos contar uma estória.

A CRÍTICA

É época de escolher um novo líder mundial e o voto é muito importante. Temos três candidatos. Esses são alguns agora irrefutáveis dos três candidatos:

Candidato “A”
Tem envolvimento freqüente com políticos corruptos, e consulta regularmente astrólogos para tomar suas decisões. Teve duas amantes conhecidas, é um fumante excessivo e bebe de 10 a 12 Martines por dia.

Candidato “B”
Foi despedido de seu trabalho em duas ocasiões; dorme todos os dias até ao meio dia; fumava ópio no colégio e bebe quase um litro de Whisky todas as tardes.

Candidato “C”
Foi condecorado como herói de guerra; é vegetariano; não fuma; bebe ocasionalmente cerveja e não tem nenhuma relação extraconjugal sabida.

Valendo-se da “crítica” pela crítica, sem entendimento do preceitos maçônicos e cristãos, por qual dos três candidatos nos decidiríamos?

Como pessoas centradas, moralistas, portadores de senso de análise afinado, progressistas, bons maçons, Mestres, talvez até Inspetores Gerais da Ordem, pensando no passado, vendo o presente e prevendo o futuro do candidato com base no que ouvimos dele, não vamos errar: a resposta é o CANDIDATO “C”.

Claro, o homem foi condecorado como herói de guerra; é vegetariano; não fuma; bebe socialmente cerveja e não tem nenhuma relação extraconjugal, que se tenha descoberto! “É esse o Homem”.

Então, vamos a apuração dos votos, que não verdade é uma das formas de criticar (analisar e opinar):

Candidato “A” – sumariamente banido.
Tem envolvimento freqüente com políticos corruptos, e consulta regularmente astrólogos para tomar suas decisões. Teve duas amantes conhecidas, é um fumante excessivo e bebe de 10 a 12 Martins por dia.

• Saibamos que este é um breve resumo da vida de FRANKLIN DELLANO ROOSVELT. (ex-presidente dos Estados Unidos)

Candidato “B” – também sumariamente banido.
Foi despedido de seu trabalho em duas ocasiões; dorme todos os dias até ao meio dia; fumava ópio no colégio e bebe quase um litro de Whisky todas as tardes.

• Este é um breve relato da vida de WINSTON CHURCHIL.

(Em 30 de maio de 1940, com 66 anos de idade tornara-se Primeiro Ministro Inglês, pronunciando um discurso de apenas uma linha: “Nada posso oferecer além de sangre, cansaço, lágrimas e suor”... e Hitler seria derrotado por ação dessa disposição).

Candidato “C” – o grande vencedor e merecedor, da nossa confiança.
Foi condecorado como herói de guerra; é vegetariano; não fuma; bebe ocasionalmente cerveja e não tem nenhuma relação extraconjugal sabida.

• Esta foi a vida de ADOLF HITLER. (o carrasco Nazista).

A propósito, para se firmar quão destrutiva pode se tornar uma crítica, vamos voltar à primeira pergunta que fizemos, no início do texto

PERGUNTA: Se conhecêssemos uma mulher grávida, que já tem oito filhos, dos quais três são surdos, dois são cegos e um é retardado mental, e sendo ainda que esta mulher sofre de sífilis; será que recomendaríamos que para ela o melhor seria abortar?

Se a nossa resposta foi sim ao aborto, saiba que acabamos de matar LUWDWING VON BEETHOVEN. (O músico considerado gênio)

Isto pode nos fazer pensar em como analisar detidamente os sintomas para se conhecer as reais causas; para só então tomar decisões... julgar pessoas... expressar opiniões.

Lembremos que mesmo pensando... refletindo... medindo e pesando para tomar as decisões de criticar o nossos semelhantes, as vezes não dá certo! Quase sempre falhamos!

colaboração Ir.´. Milton de Souza